Arquivo da tag: rio grande do sul

Entre Meninas e Mulheres – com Enid Backes

Enid Backes é uma socióloga, feminista, militante da causa ambiental e uma das fundadoras de importantes espaços de representação das mulheres. Nesta entrevista concedida em sua casa, em Nova Petrópolis (RS), Enid fala de sua vida, seu processo de engajamento nos movimentos sociais, a importância da participação política de mulheres, sobre feminismos e esperança.

Minidocumentário realizado pelo projeto Ponto de Cultura Feminista: corpo, arte e expressão , coordenado pelo Coletivo Feminino Plural, organização não-governamental feminista de Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

Ponto de Cultura Feminista: corpo, arte e expressão:
Execução – Coletivo Feminino Plural
Comitê Gestor – Ilê Mulher, Cirandar, Inclusivass, Mirela Kruel, Andressa Cantergiani e Carolina Pommer, Inclusivass, Rede Feminista de Saúde e Direitos Sexuais e Reprodutivos
Apoio – Rede RS dos Pontos de Cultura, Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer (Sedactel), Governo do Estado RS, Ministério da Cultura, Governo Federal

Encontro sobre Comunicação Feminista com Joanna Burigo, do site Casa da Mãe Joanna

Estamos ocupando as pautas dos meios de comunicação tradicionais e alternativos. Conseguimos nos unir e tomar as redes através de campanhas, como #chegadefiufiu, #meuprimeiroassédio, #meuamigosecreto e muitas outras. Mas como podemos qualificar nossa comunicação para incluir mais e mais mulheres? Qual a importância de ter autonomia para comunicar? E a relevância de fortalecer portais que trazem notícias a partir do ponto de vista das mulheres? Como pensar uma Comunicação Feminista?

Para discutir tudo isso e mais um muito, o Ponto de Cultura Feminista: corpo, arte e expressão convida a fundadora do site Casa da Mãe Joanna, Joanna Burigo para uma Roda de Conversa sobre Comunicação Feminista. O encontro acontece na segunda-feira (10 de setembro), das 14h às 17, na nossa sede – Rua General Andrade Neves, 159 / 84 – Centro de Porto Alegre.

Joanna Burigo é fundadora da Casa da Mãe Joanna, site que oferece educação e comunicação feminista sobre gênero. Atuou no mercado de publicidade e marketing no Brasil e no Reino Unido, onde também trabalhou como professora. Co-fundadora do Guerreiras Project e do Gender Hub, e coordenadora pedagógica da Emancipa Mulher.
Joanna vem se dedicando a projetos feministas desde que completou seu mestrado em Gênero Mídia e Cultura pela London School of Economics. Ela também é co-organizadora de dois livros, o Tem saída? Ensaios Críticos sobre o Brasil, e o Novas Contistas da Literatura Brasileira, lançados pela Editora Zouk, e escreve regularmente para Carta Capital.

O encontro tem vagas limitadas e as inscrições devem ser feitas através do email pontodeculturafeminista@gmail.com. Mande seu nome completo e coloque no assunto Comunicação Feminista.

A atividade é gratuita e aberta às meninas e mulheres em suas diversidades. O espaço é acessível.

Ponto de Cultura Feminista: corpo, arte e expressão:
Execução – Coletivo Feminino Plural
Comitê Gestor – Ilê Mulher, Cirandar, Inclusivass, Mirela Kruel, Andressa Cantergiani e Carolina Pommer, Inclusivass, Rede Feminista de Saúde e Direitos Sexuais e Reprodutivos
Apoio – Rede RS dos Pontos de Cultura, Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer (Sedactel), Governo do Estado RS, Ministério da Cultura, Governo Federal

Djamila Ribeiro: “As pessoas ficam surpresas de eu frequentar certos espaços e de eu ser inteligente”

via Nonada – Jornalismo Travessia

Esta sexta-feira foi movimentada na cena cultural de Porto Alegre. Enquanto Djamila Ribeiro e Joanna Burigo falavam sobre feminismo, aborto, educação, representatividade e lugar de fala dentro da Feira do Livro, poucos integrantes do MBL se preparavam para, duas horas depois, cumprirem a primeira missão fascista que devem estar planejando para os 19 dias de feira: eles entraram no sarau promovido pelo Ponto de Cultura Feminista: Corpo, Arte e Expressão, filmaram as participantes individualmente e as constrangeram.

Na mesa das 16h30, os organizadores não previram que Djamila Ribeiro lotaria fácil a capacidade de 160 lugares lugares do auditório do Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, de forma que algumas pessoas ficaram do lado de fora, algo que é raro entre as atividades da feira.  A mesa em questão era a “Conexões feministas nórdico-tropicais-Diálogos sobre gênero, comunicação e educação entre Brasil e Noruega”, também composta por Joanna Burigo,  do site A Casa da Mãe Joanna, e mediada por Carol Anchieta.

Leia o texto na íntegra aqui: http://www.nonada.com.br/2017/11/djamila/.