Mandala da Diversidade realiza encontro de preparação para Ativismo Feminista – Sororidade na Prática

Já fizemos muitas coisas juntas! Que tal um encontro para pensarmos em tudo que vivemos, o que ainda queremos fazer e expressar nossos sentimentos e pensamentos na Mandala da Diversidade?

A oficina deste sábado (24 de julho) do Mandala da Diversidade – Nossas Diferenças, Nossa Fortaleza será um momento para conversar sobre os espaços das meninas e das mulheres nas artes e na cultura, sobre tudo o que já vivemos no projeto e juntas decidirmos o que vem pela frente. Depois, vamos exercitar a criatividade na construção da mandala, material que simboliza os assuntos tratados em cada oficina e que será apresentado em julho durante um encerramento (deste ciclo).

É imprescindível a presença de todas as meninas que foram nas últimas atividades. Quem quiser se juntar agora também será muito bem-vinda!

ESTAREMOS RECOLHENDO DOAÇÕES PARA A OCUPAÇÃO MULHERES MIRABAL, QUE ACOLHE MULHERES, CRIANÇAS, JOVENS E HOMENS DA OCUPAÇÃO LANCEIROS NEGROS.

Anúncios

Integrantes do projeto Mandala da Diversidade assistem à peça O Topo da Montanha

As oficinas do Mandala da Diversidade continuam ocorrendo aos sábados, na nossa sede. No último fim de semana, excepcionalmente, o encontro foi no Theatro São Pedro para assistir à peça O Topo da Montanha, com Taís Araújo e Lázaro Ramos – veja abaixo o vídeo feito logo após o espetáculo.

Quem quiser se juntar à mandala pode entrar em contato pelo email pontodeculturafeminista@gmail.com. A cada encontro um novo tema é discutido a fim de garantir que todas se sintam incluídas sempre e saiam com aprendizados todos os dias.

Obrigada à produção do espetáculo pela doação dos ingressos sociais! Nós, integrantes do CFP, e participantes do Mandala da Diversidade, estamos até hoje emocionadas. O projeto Mandala da Diversidade: Nossas Diferenças, Nossa Fortaleza conta com apoio da Ong FASE.

https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fmandaladadiversidade%2Fvideos%2F251496678663047%2F&show_text=0&width=224

Este sábado (27) tem oficina Explorando os Sentidos na Mandala da Diversidade

Amanhã é dia de oficina Explorando Os Sentidos do projeto Mandala da Diversidade. As ministrantes são Josiane França e Ewelin Canizares, integrantes do grupo Inclusivass -formado por mulheres com deficiência.

A oficina é gratuita e para participar basta comparecer à nossa sede, localizada na Rua General Andrade Neves, 159/85, a partir das 14h.

Diversidade de Gêneros e Sexual entram na Mandala da Diversidade este sábado (20)

Na oficina deste sábado, dia 20 de maio de 2017, a psicóloga e ativista feminista Cris Bruel vai falar sobre estereótipos, preconceitos, diversidade de gênero, orientação sexual e Teoria Queer. A oficina integra o projeto Mandala da Diversidade e é destinada a jovens entre 13 e 19 anos.

Mais informações e inscrições pelo e-mail pontodeculturafeminista@gmail.com. Ao final da oficina, as participantes vão construir juntas mais um pedaço da MANDALA DA DIVERSIDADE.

Vem trocar experiências e ideias!

Mandala da Diversidade promove oficina sobre Feminismo Negro no dia 6 de maio

Neste sábado, 6 de maio, às 14h, tem mais uma oficina do projeto MANDALA DA DIVERSIDADE. O tema será “Feminismo Negro e Mulheres Negras”, com a oficineira Íris Monteiro, do Coletivo Oluchi Trubantes.

Venha trocar experiências e ideias e construir junto a Mandala da Diversidade. A cada encontro, o grupo coloca mais uma parte da mandala.

Local: Coletivo Feminino Plural, na Rua Andrade Neves, 159, sala 85, no Centro de Porto Alegre (RS)

Horário: 14h

Quem quiser garantir sua vaga, ou ter mais informações, pode mandar email para pontodeculturafeminista@gmail.com.

CANCELADA! – Jovens discutem Feminismo Negro neste sábado na Mandala da Diversidade

Neste sábado, 29 de abril, tem mais uma oficina do projeto Mandala da Diversidade. Desta vez o tema é Feminismo Negro e Mulheres Negras e quem vai puxar o debate é o Coletivo Oluchi Turbantes.

Quem quiser garantir sua vaga pode mandar email para pontodeculturafeminista@gmail.com ou só chegar na sede do Coletivo Feminino Plural – Rua General Andrade Neves, 159 / 85. Vem somar!

Mandala da Diversidade inicia oficinas

arte Akemi Ueno

A fim de promover o encontro entre meninas entre 13 e 18 anos e fortalecê-las, o Coletivo Feminino Plural e o Ponto de Cultura Feminista: corpo, arte e expressão realiza, entre março e julho de 2017, oficinas sobre feminismos com jovens de Porto Alegre. Os encontros vêm discutindo o discurso midiático sobre as meninas e mulheres, o Feminismo Negro e as Mulheres Negras, Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos, Mulheres com Deficiência e outros temas – TUDO DE FORMA TRANSVERSAL!

Se você quiser participar, basta mandar email para pontodeculturafeminista@gmail.com. O próximo encontro ocorre no dia 29 de abril, à tarde e irá tratar do tema Feminismo Negro e Mulheres Negras, com a participação do Coletivo Oluchi Turbantes.

Os encontros são gratuitos e ocorrem na sede do Coletivo Feminino Plural – Rua General Andrade Neves, 159 / 85 – Centro de Porto Alegre. O projeto Mandalas da Diversidade – Nossas Diferenças, Nossa Fortaleza conta com o apoio da Ong FASE – Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional.

 

Lute como uma menina: Projeto MANDALA DA DIVERSIDADE

Arte: Akemi Ueno

Estão abertas até o dia 25 de março de 2017 as inscrições para o Projeto:

MANDALA DA DIVERSIDADE,  NOSSAS DIFERENÇAS, NOSSA FORTALEZA

Podem se inscrever as jovens de 13 a 18 anos interessadas em refletir e aprofundar conhecimentos sobre gênero, etnia, raça, diversidade, mulheres com deficiência, sexualidade, comunicação e política.

As oficinas vão acontecer de abril a julho de 2017, uma vez por semana.

A partir das reflexões, histórias e experiências trocadas, ao longo do projeto será construída uma MANDALA DA DIVERSIDADE

Em cada oficina, a Mandala será alimentada de acordo com os conteúdos trabalhados.

Ao final do sexto mês, as jovens e as oficineiras farão uma intervenção no Centro de Porto Alegre apresentando a “Mandala da Diversidade” para chamar a atenção sobre os direitos das mulheres com suas especificidades.

Ao longo do projeto, será criada uma página em rede social de escolha das jovens para a veiculação de vídeos, textos, áudios e fotos das ações coletivas

INSCRIÇÕES E INFORMAÇÕES PELO E-MAIL
pontodeculturafeminista@gmail.com

Na Mídia: Pontos de Cultura resistem aos impasses entre Estado e União

via Jornal do Comércio 
mapamichele2-1464814Nem sempre percebidos nos grandes centros das cidades, os Pontos de Cultura fazem parte de uma rede com poder de penetração nas comunidades e territórios, em especial nos segmentos sociais mais vulneráveis. A intenção desses espaços é fortalecer entidades comunitárias que trabalhem na área cultural.

Atualmente, a rede brasileira tem 3.501 Pontos de Cultura. No Rio Grande do Sul, são 175 deles distribuídos em 75 municípios gaúchos. Cada um pode receber até R$ 180 mil em um período de três anos. Os recursos financeiros são destinados a projetos de trabalho e à compra de equipamentos para utilização do ponto.

No entanto, o repasse de recursos dos contratos firmados pela Secretaria de Estado da Cultura a partir de dezembro de 2013 – referente a 82 pontos – parou desde o primeiro semestre de 2015. O diretor de Cidadania e Diversidade Cultural da Secretaria Estadual de Cultura, Leoveral Golzer Soares, afirma que os compromissos do governo do Estado referentes aos repasses estão em dia.

O que está atrasado, conforme ele, são os valores do Ministério da Cultura (Minc) para com o Rio Grande do Sul. A atual gestão estadual repassou, de acordo com Soares, cerca de R$ 5 milhões para o sistema.

Segundo o representante da Rede dos Pontos de Cultura do Rio Grande do Sul, Leandro Anton, a situação ficou pior com a suspensão dos repasses mesmo para quem estava com a prestação de contas em dia.

Os contratos firmados pela Secretaria de Estado da Cultura, a partir de dezembro de 2013, são de duas modalidades: uma, com 60 vagas e todas preenchidas pelo primeiro edital, são de convênios de R$ 180 mil. A outra categoria, com 100 vagas, oferecia convênios de R$ 60 mil destinado a propostas de organizações com atuação em cidades com até 10 mil habitantes.

Continuar lendo Na Mídia: Pontos de Cultura resistem aos impasses entre Estado e União