Mandala da Diversidade

arte Akemi Ueno

O projeto Mandala da Diversidade: Nossas Diferenças, Nossa Fortaleza tem o objetivo principal de promover o empoderamento de jovens mulheres de 13 a 18 anos na cidade de Porto Alegre no campo do ativismo feminista considerando a diversidade das mulheres. Os encontros são gratuitos e ocorrem na sede do Coletivo Feminino Plural – Rua General Andrade Neves, 159 / 85 – Centro de Porto Alegre. Se você quiser participar, pode mandar email para pontodeculturafeminista@gmail.com. Veja o cronograma dos encontros: edit 3005_Cronograma das oficinas

Com o presente projeto buscamos somar a experiência acumulada pelo Coletivo Feminino Plural ao longo de 20 anos em Porto Alegre e do Ponto de Cultura Feminista: corpo, arte e expressão com a de entidades parceiras – Coletivo Oluchi Turbantes, Coletivo Outra Visão e Grupo Inclusivass – a fim de debater com as jovens a diversidade entre as mulheres a partir de uma perspectiva libertadora. Buscaremos aproximar as jovens – já na fase do despertar para a consciência de gênero, de sexualidade, de classe, de raça – das teorias feministas e da pluralidade das mulheres, bem como colaborar com a criação de um espaço de trocas entre essas meninas e de fortalecimento do ativismo feminista.
Com isso, queremos visibilizar as lutas pelos direitos a partir das especificidades entre as mulheres, tanto no âmbito das orientações como na erradicação de todas as formas de violência contra as mesmas, indo além de suas resistências e críticas ao modelo de fundamentalismos econômicos, políticos, e religiosos imperantes em nosso País, bem como promover a inserção destas jovens no campo do ativismo feminista.
É nesse contexto que este projeto pretende contribuir para a construção de uma cultura de direitos e para o empoderamento das jovens, a fim de que elas incidam sobre as comunidades das quais fazem parte. Empoderamento aqui entendido como o processo de superação da desigualdade de gênero, que implica em que as mulheres modifiquem a imagem de si mesmas e as crenças sobre seus direitos e habilidades. Neste projeto pretendemos, portanto, desenvolver a capacidade das jovens mulheres com o fim de incrementar sua autoconfiança, afirmar seu direito a autonomia e estimular o desenvolvimento de sua capacidade de organização coletiva.
As oficinas terão abrangência local-comunitária e manterão relação complementar ao projeto Ponto de Cultura Feminista: corpo, arte e expressão, em curso, e ao Programa Escola Lilás de Direitos Humanos, ambos coordenados pelo Coletivo Feminino Plural, situado no centro da Capital.
As escolas públicas localizadas na região central de Porto Alegre acabam por concentrar adolescentes em idade escolar de diversas regiões do município devido à falta de instituições ou de vagas para o Ensino Médio próximas à sua casa, muitas vezes nas periferias. Com isso, espera-se que, além de fomentar o papel da sede do Coletivo Feminino Plural como um ponto de encontro das jovens e mulheres, os aprendizados sejam replicados nos locais onde cada envolvida circula e seja formada uma rede social de reflexão e apoio mútuo.

Anúncios