Arquivo mensal: abril 2016

Roda de Conversa e Oficina Literária: mulheres negras e poder.

IMG_5364
Coletivo Oluchi, empoderamento através de turbantes

Esta quinta-feira (28) acontece mais uma edição das Rodas de Conversa sobre Feminismos do Ponto de Cultura Feminista: corpo, arte e expressão na sede (da Ong Cirandar, Rua dos Andradas, 1780, 3º andar) do Grêmio Estudantil “Das Gurias”, Colégio Júlio de Castilhos. Integrantes do Coletivo Oluchi promovem a Roda de Conversa sobre corpos e empoderamento das mulheres negras. O encontro é destinado a jovens mulheres e encerra o Módulo I de Oficinas do Ponto de Cultura Feminista.

8307_1198563286824051_1872869373620753071_n
Ana dos Santos, poesia para mudar o mundo das mulheres

Junto com a roda, acontece a abertura das inscrições para a Oficina literária “Mulher negra, meu corpo, minha voz”, com a poetisa Ana dos Santos. As oficinas acontecem de 3 a 12 de maio de 2016, das 18h30 14h30 às 17h, no Centro Histórico de Porto Alegre, sede da ONG Cirandar.

A ONG Cirandar (membro do Comitê Gestor do Ponto de Cultura Feminista) e o Grêmio Estudantil da Escola Júlio de Castilhos “Das Gurias” são parceiras na execução das ações e estão recebendo inscrições de educadoras das bibliotecas comunitárias e de jovens estudantes para a Oficina Literária.

Todas as oficinas do Ponto de Cultura Feminista são ministradas por artistas e educadoras mulheres e também são destinadas exclusivamente ao público de mulheres. Nosso objetivo é proporcionar o espaço e o tempo para pensar sobre o corpo, criação e a expressão de mulheres através da arte.

Serviço:
O quê: Roda de conversa sobre Feminismos com o Coletivo Oluchi – abertura da Oficina Literária “MULHER NEGRA, MEU CORPO, MINHA VOZ” com Ana dos Santos.
Quando: 29 de abril de 2016 – 15h40 – Grêmio “Das Gurias” Colégio Júlio de Castilhos.
Grátis – Para mulheres de 14 a 29 anos (ou mais).

Informações e inscrição pelo email pontodeculturafeminista@gmail.com com nome, idade e contatos.

Coletivo Oluchi tem por objetivo dialogar e trabalhar as questões que abrangem o universo da mulher negra em busca do seu empoderamento através do Turbante.

Ana dos Santos é poetisa e professora de Literatura Brasileira. Ana é gaúcha de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Iniciou na poesia vendendo poemas na noite boêmia da Lapa e Santa Tereza – RJ, onde também fazia performances poéticas com o “Circo Beat” (2000). Colou poemas nas ruas de várias cidades brasileiras. Participou com outros poetas e fotógrafos brasileiros da obra “Brazil by night” – SP (2008). Tem publicações no Livro da Tribo (2011), Cadernos do Instituto de Letras – UFRGS (2003), duas antologias poéticas (Águia – Prosa e Verso/2009 e Sopapo Poético/2015) e ganhou o concurso Ministério da Poesia.

Anúncios

Direitos Sexuais e Reprodutivos das Mulheres são tema de roda conversa este sábado

Vem bater um papo com a gente este sábado (23) na roda de conversa Essas Mulheres e seus Direitos Sexuais e Reprodutivos. A atividade começa às 16h na Casa de Cultura Mario Quintana e é aberto à participação de todas e todos.

Ação do Ponto de Cultura Feminista: corpo, arte e expressão, convênio entre o Coletivo Feminino Plural e o Governo do Estado RS e o Ministério da Cultura através da Lei Cultura viva.  O encontro integra a Oficina de Artes do Corpo: intervenção e performance, ministrada pelas artistas Andressa Cantergiani e Carolina Pommer.
André Musskopf – Doutor em Teologia pela Escola Superior de Teologia – EST
Íris Monteiro –  Socióloga e ativista
Liza Cenci – Formada em Direito, mulher com deficiência e Integrante do grupo Inclusivass de Mulheres com e sem deficiência
Luisa Stern – Advogada e Assessora Jurídica da ONG Igualdade RS – Associação de Travestis e Transexuais do Rio Grande do Sul
Monique Prada – Prostituta e ativista
Mediação – Renata Jardim – advogada e coordenadora do Centro de Referência para Mulheres Patrícia Esber
ERRATA: Mediação será realizada pela advogada Renata Jardim

13001080_500968036767684_6453199933889256076_n

Oficina Literária “MULHER NEGRA, MEU CORPO, MINHA VOZ” tem início no final de abril

O Ponto de Cultura Feminista: corpo, arte e expressão articula parcerias para a realização da Oficina Literária  “MULHER NEGRA, MEU CORPO, MINHA VOZ”.

Mulheres estudantes, educadoras e ativistas de Porto Alegre, do Grêmio Estudantil da Escola Júlio de Castilhos e das Bibliotecas Comunitárias da ONG Cirandar serão público alvo da atividade.

A chapa do Grêmio estudantil “Das Gurias” iniciou sua gestão em 2016 e já faz a diferença. Através da poetisa e educadora Ana dos Santos pudemos nos aproximar da representação discente da Escola e articular a divulgação e inscrições para a Oficina Literária “MULHER NEGRA, MEU CORPO, MINHA VOZ” que tem início dia 28 de abril de 2016 (quinta).

A parceria com a ONG Cirandar (membro do Comitê Gestor do Projeto) integrará nas oficinas seu público de educadoras das Bibliotecas Comunitárias. A estudante de Biblioteconomia Yasmin Wink Finger nos recebeu na sede na ONG para acertarmos os detalhes dos encontros. A Ong Cirandar fortalece o ativismo e a expressão das mulheres propondo esse encontro com as educadoras das bibliotecas comunitárias.

Uma Roda de Conversa sobre feminismos com o Coletivo Oluchi, que atua para o empoderamento de mulheres negras, dá início as atividades que seguem durante todo o mês de maio. Os encontros acontecerão duas vezes por semana, sempre á noite, e se dividirão entre a sede do Cirandar e da ONG Coletivo Feminino Plural, ambas no Centro Histórico.

Serviço:

Oficina Literária “MULHER NEGRA, MEU CORPO, MINHA VOZ” Com Ana dos Santos.             Início dia 28 de abril de 2016 – 18h30 – ONG Cirandar. Roda de conversa sobre feminismos com Coletivo Oluchi.

Local: Andradas, 1780 – espaço sem acessibilidade para cadeirantes.

12h/aula – 4 encontros (18h30 às 21h)

Grátis – Só para mulheres de 14 a 29 anos (ou mais)

Para maiores informações sobre as oficinas escreva para pontodeculturafeminista@gmail.com

No Grêmio da Escola Júlio de Castilhos, Luísa Gabriela (coordenadora do Projeto), Lucy (integrante da Chapa Das Gurias) e Ana dos Santos (poetisa e educadora)
IMG-20160419-WA0004
Na ONG Cirandar com Yasmin Wink Finger, estudante de biblioteconomia e integrante do Comitê Gestor do Ponto de Cultura Feminista.Biografia Ana Dos Santos

Poetisa e professora de Literatura Brasileira, Ana é gaúcha de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Iniciou na poesia vendendo poemas na noite boêmia da Lapa e Santa Tereza – RJ, onde também fazia performances poéticas com o “Circo Beat” (2000). Colou poemas nas ruas de várias cidades brasileiras. Participou com outros poetas e fotógrafos brasileiros da obra “Brazil by night” – SP (2008). Tem publicações no Livro da Tribo (2011), Cadernos do Instituto de Letras – UFRGS (2003), duas antologias poéticas (Águia – Prosa e Verso/2009 e Sopapo Poético/2015) e ganhou o concurso Ministério da Poesia.

Mulheres de diferentes idades participam de oficinas de Ativismo Digital

O produto das oficinas serão vinhetas e programas feministas para a rádio Web da Escola Pessoa de Brum

DSC06701Depois das oficinas turbantes, Hip-Hop, de rodas de conversa sobre feminismos, da realização de saraus, de um Feminário e do nosso 1º Festival Feminista, entre outras atividades, começamos a desenvolver mais uma ação na semana passada. Mulheres de várias idades que frequentam o Ensino de Jovens e Adultos (EJA) da Escola Pessoa de Brum, na Restinga, estão participando de Oficinas de Ativismo Digital, realizadas pela Dóris Macedo da Ong Ilê Mulher (instituição integrante do nosso comitê-gestor).

IMG_5470Antes do início das aulas, o Coletivo Oluchi, nosso parceiro, fez uma roda de conversa com as estudantes sobre Feminismo Negro. Após, Dóris deu início aos encontros que propõem a criação de vinhetas de rádio com a temática dos direitos humanos de mulheres e meninas.

As ações de Ativismo Digital com rádio Web ocorrem em parceria e a fim de fortalecer a Rádio Brum, que funciona dentro da escola. A ideia é criar programas que tratem de temas como empoderamento, expressão e auto estima. As mulheres já têm participado ativamente expondo suas histórias de luta e superação.

O ciclo de oficinas encerra com um sarau, que será organizado pelas mulheres participantes junto à Rádio Brum. Logo mais te colocamos por dentro de data, horário e local do evento!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Restinga recebeu oficinas interdisciplinares de poesia, teatro e música

As ações do Ponto de Cultura Feminista: corpo, arte e expressão no bairro Restinga foram retomadas com a realização de Oficinas Interdisciplinares com Pâmela Âmaro e com o Coletivo Oluchi – Feminismo Negro. Os encontros aconteceram durante quatro tardes no Projeto Educativo do Centro Infanto Juvenil (CIJ) Monteiro Lobato.


IMG_5378Os encontros iniciaram com as discussões sobre empoderamento, estética e imagem da mulher negra com o Coletivo Oluchi. O projeto tem por objetivo dialogar e trabalhar as questões que abrangem o universo da mulher negra em busca do seu empoderamento através do Turbante. As meninas discutiram e conheceram a importância de se fortalecer a partir do conhecimento de sua história e sua identidade.


IMG_5485Após, Pâmela Amaro assumiu a turma e desperto a reflexão sobre o cotidiano de cada uma das jovens mulheres através dos textos de poetas como Cristiane Sobral e Carolina Maria de Jesus. A turma, composta por cerca de 15 meninas do Projeto Educativo CIJ Monteiro Lobato, trabalhou a expressão interdisciplinar do corpo através da poesia, do teatro e da música.  

IMG_5493Os encontros com Pâmela encerraram com a entrega de camisetas do Ponto de Cultura Feminista às participantes. A parceria entre o Coletivo Feminino Plural e o CIJ Monteiro Lobato segue com ações do Projeto Escola Lilás de Direitos Humanos.

Veja mais fotos na Galeria abaixo:

Este slideshow necessita de JavaScript.